Arquivo do dia: 22 de junho de 2008

Inalterado por mãos humanas

 

Aposto que já aconteceu com quase todo mundo ser atraído por um título, se não por uma capa, de livro. Comigo é o tempo todo.

 

Foi numa ocasião assim que dei de cara com o livrinho de contos de Robert Sheckley que dá nome à entrada de hoje.

 

Como se sabe, em nossas praias não há tradição de publicação de fc (embora outras fantasias sejam despejadas no mercado em volume e periodicidade assombrosos) e, sempre que tenho oportunidade, procuro as minhas ‘doses’ em sebos ou compro material importado, mesmo.

 

O que é legal sobre fc é que, apesar das toneladas de besteiras que os caras TINHAM que escrever já que eram pagos por palavra (nos pulps era assim), tem bastante material que soa profético com a perspectiva que tempo e história acrescentam…

 

O Bob mesmo escreveu em 58 uma história sobre um reality show. A tevê ainda, basicamente, em sua infância.

 

Fabuloso, também, que ainda hoje encontremos as influências desses caras em outras ficções que consumimos. Pegue o conceito usado em PLANETARY, por exemplo, de uma nave em que cada tripulante era também um componente orgânico do ‘mecanismo’ que a fazia singrar o espaço. Coisa do Sheckley.

 

Alfred Bester, na minha opinião, é um dos melhores autores de fc de todos os tempos. Muitos caras que se arriscam nessas praias em nossa época começaram a escrever graças a livros como O HOMEM DEMOLIDO e STARS MY DESTINATION.

 

Agora, um pouco de shuteye, que ninguém é de ferro.  Exceto quando é.

Anúncios